Notícias

A Enalta é um big brother na colheita

Matéria exibida no portal da Revista Exame

Uma empresa do interior de São Paulo criou uma tecnologia que monitora tudo o que se passa numa lavoura — e foi parar na lista das mais inovadoras do mundo

São Carlos - A década de 90 estava no fim quando o engenheiro elétrico Cleber Manzoni, de Ariranha, pequena cidade no oeste paulista, decidiu transformar o bico que fazia em negócio. Durante o dia, ele trabalhava em uma companhia de energia de Catanduva, vizinha de sua cidade natal.

À noite, para complementar a renda, Manzoni consertava máquinas agrícolas usadas em canaviais da região. Naquela época, as lavouras de cana-de-açúcar estavam começando a passar pelo processo de mecanização. “Descobriram que eu era engenheiro e que entendia de eletrônica”, afirma Manzoni.

A demanda foi tamanha que, em pouco tempo, Manzoni deixou o emprego para fundar sua empresa. Hoje, a Enalta, uma das mais bem-sucedidas startupsbrasileiras, desenvolve sistemas de gestão de colheitas que recebem em tempo real informações de sensores de precisão e de aparelhos de GPSacoplados a máquinas agrícolas dos setores de cana-de-açúcar e de papel e celulose.

“É como um Big Brother, só que, em vez de câmeras, há dezenas de sensores que analisam à distância se a operação das máquinas está sendo feita corretamente”, afirma Manzoni. Entre seus clientes estão Odebrecht Agroindustrial, produtora de etanol, e International Paper, do setor de papel e celulose.

Funciona assim: um computador central estabelece padrões de operação para cada máquina agrícola, como a rota a percorrer e a velocidade para cada trecho. Esses padrões variam de acordo com o relevo, o tipo de solo e até a produtividade da lavoura. Se uma área é mais produtiva, é preciso rodar numa velocidade mais baixa para que a máquina não fique sobrecarregada.

Um software cruza os dados recebidos com os critérios estabelecidos. Se houver divergência, o sistema dispara um aviso para a central, que imediatamente alerta a equipe. “Tivemos uma redução de 15% nos gastos com manutenção e de 12% com combustível”, afirma Américo Ferraz, diretor de tecnologia da Odebrecht Agroindustrial, que usa os sistemas da Enalta desde 2010.

Contratos como o da Odebrecht, que investirá 40 milhões de reais num projeto de automação de frota até 2014, fizeram a receita da Enalta saltar de 1,7 milhão de reais em 2009 para 12 milhões em 2012. Também ajudaram a empresa a ser reconhecida internacionalmente.

No início do ano, a Enalta apareceu no tradicional ranking das 50 companhias mais inovadoras do mundo, publicado pela revista americana Fast Company, por “contribuir com a indústria de biocombustíveis do Brasil com tecnologias que aumentam a produtividade”.

Para construir o ranking, a revista mede o impacto do investimento em inovação em determinado ano no faturamento do ano seguinte. No caso da Enalta, cerca de 60% da receita de 2012 veio de produtos lançados em 2011.

A trajetória de sucesso de Manzoni coincide com uma década em que a agriculturabrasileira viveu seu maior salto de produtividade da história recente.

Segundo um estudo publicado em junho pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, a produtividade da agricultura brasileira quase quadruplicou nos últimos 35 anos — e o maior avanço ocorreu entre os anos de 2000 e 2010, quando houve a incorporação de inovações como os transgênicos e os sistemas de agricultura de precisão.

Entre as potências mundiais na produção de alimentos, o Brasil é a única a desenvolver uma agricultura tropical de larga escala. Chegar a essa condição exigiu o desenvolvimento de tecnologias específicas, o que desmente o mito amplamente aceito de que a produção de recursos naturais anda junto com pouca inovação.

A ascensão do cerrado como polo global de produção de grãos deveu-se à adoção da técnica do plantio direto, da correção do solo e do desenvolvimento genético. 

Para Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura e coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getulio Vargas, a agroindústria serve como um bom exemplo para outros setores da economia brasileira que não experimentaram o mesmo ganho de produtividade e hoje estão estagnados.

“Com a abertura econômica do início dos anos 90, os grandes produtores do agronegócio precisaram investir em tecnologia e inovação para poder competir”, diz Rodrigues. “Esse é um caminho certeiro para ter maior relevância.” Na agricultura, o país conseguiu criar um ambiente que permite o surgimento de empresas como a Enalta.

Logo nos primeiros anos, Manzoni trabalhou em parceria com a Embrapa. Mais tarde, recebeu 3,8 milhões de reais do fundo de investimento Criatec, que ficou com 43% da companhia. O próximo passo é atrair mais dinheiro.

“Estamos em fase final de negociação para um aporte de um fundo de capital privado”, afirma Francisco Jardim, gestor do Criatec Ventures. Com a nova injeção de capital, a Enalta pretende replicar seu modelo Big Brother em outras áreas, como as de milho e de café. Guardadas as proporções, a versão brasileira mais próxima do Vale do Silício está mesmo no campo.

Fonte: http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/104402/noticias/um-big-brother-na-colheita

Notícias

  • O sistema de monitoramento de máquinas florestais da Duratex

  • A Enalta é um big brother na colheita

  • Enalta estima ampliar faturamento em mais de 20% em 2013

  • Tecnologia em produção de cana faz fábrica de São Carlos liderar ranking

  • Tecnologia para lavoura leva ENALTA a ranking de inovação nos EUA.

  • ENALTA ESTÁ NA REVISTA EXAME

  • VAGAS EM ABERTO

  • ENALTA & Instituto de Educação Atheneu

  • SIPAT 2012

  • Automação e Agricultura de precisão em alta

  • Fenasucro 2012

  • Congresso ATALAC Tecnicaña 2012

  • 14º Seminário de Mecanização e Produção de Cana-de-açucar

  • Enalta investe na capacitação e treinamento da equipe

  • AGRISHOW 2012

  • Enalta está entre as empresas que mais crescem no Brasil.

  • Internacional - Colombia: "Venta de azúcar podrá aumentar en EE.UU.

  • Colheita mecanizada avança

  • Energia da cana é alternativa para diversificar a matriz elétrica do País

  ENALTA é a única brasileira entre as 50 empresas

mais inovadoras do mundo. (Guia Anual Fast Company 2013) 


 

       

NEWSLETTER


© 2016 - ENALTA INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS S/A - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS  

 RUA SETE DE SETEMBRO, 1970 - CENTRO - CEP 13560-180 - SÃO CARLOS/SP

+55 16 3411-6060

Desenvolvido por Webplus